Português Inglês

Página Inicial

É impossível pra um homem, aprender aquilo que ele acha que já sabe

Epiteto (Filósofo Grego, 50-130 a.C)

Mover para esquerda Mover para direita

o estado do rj

1 - Nome e profissão e local de trabalho.

R)Márcia Campiolo, psicóloga, especialista em Administração de Recursos Humanos, atuando nesta área há mais de 25 anos. Ex docente universitária, consultora na área de Recursos Humanos, na área de Gestão em Saúde.

 

2 - Márcia, você que trabalha com recrutamento a mais de 20 anos, como está o mercado de emprego no Brasil e no mundo, nesse momento de crise global?

R) O Mercado de Recurso Humanos, é uma balança que mantém seu equilíbrio entre as vagas oferecidas e a quantidade de candidatos a empregos. Com os últimos acontecimentos mundiais, o mercado de empregos no Brasil e no mundo sofreram abalos, mas passaram a apresentar características bastante diferentes dependendo da área geográfica e economica. Podemos observar áreas onde o desemprego subiu e a oferta de vagas caiu dramaticamente outras, onde a oferta de vagas se manteve estável e ainda uma terceira característica, onde a oferta de vagas subiu de forma significativa

Ou seja, analisar o mercado de empregos, tornou-se uma tarefa ainda mais complexa para que se possa ter uma entendimento mais claro do que está ocorrendo. Mesmo assim, é possível dizer que a chamada “crise global”, na realidade precisa ser sempre analisada mais de perto, observando-se características locais e específicas por área. Já não é mais possível análises muito globais que permitam uma compreensão fiel das diversas realidades que se apresentam.

 

3 - Você pode me dizer como está a taxa de desemprego no Brasil, ela está crescendo devido a essa crise? Você pode fazer uma comparação em percentual com um período de 2008 a 2009?

R)A crise mundial, com certeza afetou os índices de desemprego em nosso país, mas é preciso assinalar, que o mercado já vinha há um bom tempo adquirindo características que apontavam para a necessidade de maior investimento na qualificação da mão de obra, o que muitas vezes levava o mercado a oferecer vagas para as quais os candidados disponíveis não apresentavam o nível de qualificação desejado pelos empregadores. Desta forma, a crise mundial, veio somar-se a esta condição já existente na época, afetando negativamente os índices de desemprego.

 Em 2001, o IBGE iniciou as pesquisas com a atual metodologia, para determinar os índices de desemprego no Brasil. Segundo então o IBGE, nas seis regiões metropolitanas pesquisadas, em março de 2009,  esta taxa de desemprego atingiu 9%, que é o maior índice desde 2007, mas ainda um pouco distante do recorde, que foi de 13,1% em abril de 2004.

Estes são índices globais, mas se observarmos os dados por estado, é possível constatar que em alguns deles, de um mês para o outro, a taxa aumentou e em alguns ele até diminuiu.

No gráfico abaixo é possível se fazer um comparação entre 2008 e 2009.
 
 

4 - As empresas brasileiras estão contratando menos devido a crise ou isso já vem acontecendo mesmo antes dessa crise financeira vir a tona?

R) Como foi dito a crise mundial, veio somar-se a fatores de mercado relacionados principalmente a necessidade de melhor qualificação dos candidatos, exigências estas, que já eram bastante presentes no momento em que a crise se propagou pelo mundo.

 

5 - O presidente Lula diz que a crise não afetou tanto o Brasil... Para as pessoas que perderam seus empregos, foram demitidos e não estão encontrando um novo emprego, que conselho você pode dar a eles? 

R)Realmente, é preciso admitir, que no Brasil, a crise tem sido menos profunda, em relação a outros países da Europa e Estados Unidos. É possível constatar esta realidade, quando observamos os índices de desemprego registrados nos Estados Unidos, que em abril, atingiu 8.9%, mesmo índice obtido no Brasil no mesmo mês. Para se ter uma idéia, entre 2006 e 2007, nos Estados Unidos este índice foi de 4.6% em média e no Brasil, neste mesmo período, o menor índice alcançado foi de 7,4%.

No entanto, a frieza dos números não diminui as incertezas e dificuldades enfrentadas por aqueles que perderam seus empregos e estão em busca de novo postos de emprego. Para estas pessoas, seguem abaixo algumas dicas:

Naõ desanimem diante de um “não”, procure saber o motivo da impossibilidade de contratação e através destas informações, procurar, na medida do possível corrigir o problema, para que ele não impeça contratações futuras.

Procure qualificar-se. Informe-se sobre cursos em sua área de atuação e considere seriamente a possibilidade de frequentá-los.

Não deixe que frustações por tentativas de emprego não concretizadas tire sua esperança e força para seguir em frente e tentar novamente até que o objetivo seja alcançado. 

 

6 - Devido a Crise Financeira, encontrar emprego hoje em dia tem se tornado mais difícil? Ou o mercado de trabalho no Brasil não está tão ruim quanto a outros lugares onde a crise foi mais forte?

R) Empregar-se no Brasil, tem se tornado cada vez mais uma tarefa que requer que o candidato tenha se preparado adequadamente em termos de qualificação, para o cargo que se pretende.

 

7 - Ao sair para procurar emprego como o currículo como deve ser preparado? Como elaborar um currículo?

R)O currículo, deve ser uma poderosa ferramenta que irá apresentar de forma clara, objetiva, atrativa, atualizada, verdadeira e agradável, as qualificações e realizações de um candidato.

Assim, deve-se tomar muito cuidado com a seleção das informações a serem apresentadas, assim como em relação a forma, como serão apresentadas. Para isto, monte seu currículo com muita cautela, tendo em mente as características acima apresentadas.

 

8 - Como uma pessoa que consegue a sua entrevista de emprego deve se comportar? O que ela deve saber para não cometer erros na hora da entrevista?

R) Muito tem se falado em relação ao comportamento ideal durante a entrevista de seleção, com o objetivo de munir candidatos com o máximo de informações possíveis, que permitam a ele comportar-se da maneira esperada pelo empregador.

Na realidade, posso dizer que as características mais importantes que o candidato deve atentar durante a entrevista são:

  • Roupa discreta, bem passada e limpa, adequada ao ambiente de trabalho e cargo que se está buscando.
  • Mostrar segurança em relação o desejo de conseguir a vaga do emprego buscado.
  • Utilizar vocabulário adequado ao trabalho
  • Olhar para o entrevistador de forma agradável e não desafiadora.
  • Sorrir, sem excessos e de forma discreta
  • Manter o foco em seu objetivo o tempo todo.
  • Evitar “tiques nervosos”, roendo unhas, balançando a perna em excesso ou outros comportamentos que denotem excessiva ansiedade .
  • Seja verdadeiro e procure demonstrar esta característica para o entrevistador.
  • Mantenha a discrição durante toda a entrevista
 

9 - Às vezes, o candidato fica nervoso e não se sai bem na entrevista isso pode comprometer a conquista da vaga pretendida? O que fazer para não ficar tão nervoso nessa etapa e nas próximas?

R) Pode sim, o nervosismo em excesso pode atrapalhar sensivelmente seu desempenho durante a entrevista. Uma dica para se evitar esta situação, é antes de entrar na sala, respirar fundo e conversar consigo mesmo, pedindo calma, controle e lembrando a si mesmo a necessidade de manter o foco em seu objetivo.

 

10 - Se a vaga oferecida for em uma empresa mais formal, como essa pessoa deve se vestir? E se a vaga for em um local como uma loja, nada formal?

R) Na realidade, o perfil do local de trabalho, assim como da vaga que se está buscando é o ponto de partida para se determinar o melhor vestuário em cada situação. Mas é preciso lembrar, que bom gosto e discrição costumam ser elementos bastante apreciado por empregadores.

11 – Se for um homem o candidato à vaga como ele deve se vestir? E se for uma mulher?

R) Em ambos os casos, valem as mesmas regras acima descritas.
 
 

Todos os artigos são de autoria de Márcia Campiolo e não podem ser alterados ou republicados sem a permissão da autora.

Clickweb Agência Digital